Páginas

Esta foi a maneira que encontrei de dividir com vocês minhas alegrias, emoções, meus anseios, dúvidas, questionamentos,.. enfim, dividir um pouco de mim, afinal, ser mulher, mãe e esposa, não é fácil e eu não vim com manual de instruções!

sábado, 29 de janeiro de 2011

Alegria, saudade, tristeza, emoção... tudo junto e misturado

Ontem acordei cedo novamente, mais ou menos umas 6h30 (desde que parei com os remédios, acordo de madrugada e não consigo mais pegar no sono), fui para o INSS receber o meu Salário Maternidade. Muito doloroso, pois quando o atendente me pediu a Certidão de Nascimento da minha filha, tive que entregar a Certidão de Óbito (que pegamos anteontem junto com a certidão de nascimento). Que sensação horrível! Mas enfim, esta é hoje a minha realidade e mesmo que tente, não consigo nem posso fugir dela. Meu marido disse que quando foi buscar as certidões de nossa filha, a mesma pessoa que entregou, foi a que fez o documento no hospital e como todo mundo sabe, o Xuxu gosta de uma piadinha né? Agora imagina o Xuxu, junto com o Tio Cândido, fazendo piadas no dia mais feliz da vida dele! Pois é, não deu outra, a moça do cartório se lembrou de nós, e ele disse que ela quase chorou no balcão dizendo que não acreditou quando ligaram do hospital dizendo o que havia acontecido e que ela não acreditava, pois ela só conseguia se lembrar da nossa felicidade! Pois é, se a moça do cartório que nos conheceu por apenas 5 minutos não acredita imagina nós? Mas vamos lá...

Quando saímos de lá, meu esposo me convidou para ir ao escritório dele, eu relutei um pouco, pois lá tem um outro escritório com muitas pessoas e não queria que todos ficassem me olhando com cara de dó ou piedade e nem que viessem falar comigo, pois é difícil demais falar do ocorrido sem que as lágrimas corram pelo meu rosto. Mas eu fui e fiquei somente no seu escritório e graças a Deus, somente uma pessoa veio falar comigo e dizer que sentiu muito forte orar por mim quando estava na missa de adoração do Santíssimo. Mesmo assim o nariz ficou vermelho e as lágrimas encheram meus olhos, mas eu fui "forte" e não deixei que elas caíssem!
Mais tarde, fui pela primeira vez desde que comecei meu repouso em 13 de Dezembro caminhar na praia no fim da tarde, com minha mãe (que não conhecia a cidade), minha tia Cristina (madrinha da Olívia) e a Ellen (Tia/prima da Olívia).

Por um lado foi muito bom passear um pouco e conversar, mas o que me deixou com sentimentos muito confusos, foi ver muitas grávidas e bebês recém-nascidos com seus pais, a grande maioria meninas... era uma mistura de saudade, inveja, raiva, alegria, vontade, sonho,... na verdade eu não sei nem explicar o que sentia, só sei que ficava olhando e quando percebia, virava o rosto e continuava a falar. Me sentia mal por esta com esses sentimentos.

Quando paramos para comer, de forma inevitável, começamos a falar da Olívia. Pela primeira vez consegui descrever minha filha e ao invés de chorar ou sentir qualquer outro tipo de sentimento ruim ou de dor, eu senti uma paz, uma alegria, uma calma, serenidade e um amor ao descreve-la, que não consigo explicar. Falei de como foi ouvir seu choro ao nascer, de quando a vi e toquei pela primeira vez, de como era sua pele, seu cabelo, suas mãos, seus pés, seu narizinho lindo, sua boquinha tão pequena e perfeita... e por mais incrível que possa parecer, descrevi como ela estava quando fui reconhecer seu corpinho no caixão tão pequenino... falei como ela era linda e estava mais ainda com a roupinha que a Madrinha escolheu e a Tia Ellen comprou para ela sair da maternidade. Era vermelha, e por ela ser muito branquinha, ficou linda demais com a roupa! Posso dizer com toda certeza do mundo que este momento em que eu a  descrevia, foi o melhor que já tive desde que este pesadelo começou.

Conversando com a Ellen, falei sobre minha vontade de engravidar novamente  e ela me aconselhou a esperar um tempo considerável, pois como minha gravidez foi muito esperada por todos, ela temia que ao invés de festa, todos ficassem muito apreensivos e temerosos com uma gravidez muito próxima. Na verdade, eu acho que independente de quando isto acontecer, todos ficarão com um pouco de medo, principalmente eu e meu marido, pois não queremos passar por isso nunca mais!

Sabe, eu já disse isto num post anterior mas vou repetir, ontem dia 28/01 completou 9 dias que minha filha partiu, mas não sei porque, a sensação que tenho é que faz pelo menos 1 ano que tudo aconteceu... que faz muito tempo. Muitas pessoas dizem que devo virar a pagina e começar novamente, mas infelizmente, não é assim. Apesar de nossa vida ser um livro, onde nossa história é contada a todo minuto, este capítulo da minha vida começou de maneira linda e promissora, mas ainda não acabou, eu ainda não posso fazer muitas coisas por causa dos pontos da cesariana, tudo ainda me lembra nossa princesa, ainda tenho a sensação de estar grávida... são muitas coisas, entre elas o fato de que não quero e não vou esquecer a Olívia, este anjo lindo que Deus me deu por alguns meses em meu ventre e por dois dias para que eu pudesse tocá-la e me despedir. 
No próximo post, vou contar algumas curiosidades sobre minha gravidez e que somente agora percebo.

Um beijo grande e muito obrigada a todos pelo carinho e recadinhos tão lindos de força e esperança. Muito obrigada também por todas as orações, saibam que elas nos confortam a cada dia!

Até amanhã,

Roberta  

2 comentários:

  1. Querida... me add no msn: babi_schievelbein@hotmail.com pra gente conversar melhor... bjos

    ResponderExcluir
  2. Olá flor!
    Li um pouco de sua história, e me emocionei muito, pois me fez lembrar de todos os momentos que passei durante minha gravidez até a perda de minha filha, Manuela.

    A única coisa que posso te dizer no momento é que mantenha sempre sua fé em Deus, independente de qualquer coisa!

    Sua perda é bastante recente, por isso acredito que nada do que eu te disser irá adiantar de alguma coisa, pq na nossa cabeça nunca iremos entender o porque essas coisas acontecem!

    Tenha em mim uma pessoa com quem você poderá contar sempre que precisar. Só quem passar por uma dor como a nossa pode entender, e por isso podemos apoiar umas as outras!

    Agradeço por fazer parte do meu blog, e quando quiser entrar em contato, é só deixar um recadinho lá, ou se quiser, me add no msn: deia20k@hotmail.com

    Fique em paz amiga, que Deus na sua infinita misericórdia e bondade possa te confortar e dar a paz em seu coração!
    E tenha certeza de que sua anjinha está num lindo lugar, cheio de anjinhos como ela, e pra sempre vai estar do seu lado!

    Beijos, Déia.

    ResponderExcluir

Bem vindo! Deixe um recadinho. Sua opinião é importante para mim e eu adoro quando você comenta! =)