Páginas

Esta foi a maneira que encontrei de dividir com vocês minhas alegrias, emoções, meus anseios, dúvidas, questionamentos,.. enfim, dividir um pouco de mim, afinal, ser mulher, mãe e esposa, não é fácil e eu não vim com manual de instruções!

domingo, 10 de novembro de 2013

Cachorros X bebês

4 mensagens carinhosas
Oi gente!

Estou mega sumida né? Tenho muitas novidades sempre, mas as vezes fico com preguiça ou nao no tempo mesmo pra escrever, mas hoje aconteceu algo tão lindo ao meu ver que nao poderia deixar de vir aqui falar!!!!

Como vocês sabem nós temos dois cachorros, o Kindim e a Cacau e eles vieram bem antes da Manuela e ate mesmo da Olívia!
Eles são nossos companheiros e nos deram todo amor e carinho quando perdemos a Olívia. Quando eu estava quase ganhando a Manuela muitos me perguntavam "o que eu faria com eles" depois que ela nascesse, rsrs eles realmente nao sabem o que eh ter um amigo fiel ao seu lado. Uma pena!

Nao foi fácil nossa convivência neste 18 meses. Foi muito choro, rosnado, mordida de aviso, xixi e coco fora do lugar, alergias, vômitos, diarréia,.... Ah! Mas tudo isso foi com eles, meu amigos Kindim e Cacau, principalmente o Kindim que eh mexicano no quesito drama! Rsrsrsrs
Ele teve varias alergias sem motivo aparente. Gastamos pra caramba, mas graças a Deus agora era tudo caminhando da melhor maneira que podemos.
A Manuela é simplesmente apaixonada por eles. Mas é aquele amor "Felicia" sabe? Ela ama tanto que aperta, puxa os pelos, da beijinho, abraça e ate morde! Kkkkkkkkkk o mais engraçado é que eles latem e ela acha super engraçado! Hahahahaque lindo de se ver!

Ontem a Manuela dormiu na casa da mãe do meu marido e só chegou agora pouco depois das 21h. Eu estava sufocada de saudade, mas para minha surpresa, a saudade nao era privilegio só meu. Quando a Manuela chegou o Kindim ficou mega feliz! Abanava o rabinho, cheirava, lambia e ela claro, caiu na gargalhada! Juro, me controlei pra nao chorar ao ver meu melhor amigo, tão contente com a chegada da minha riqueza!

Durante este 1 ano e meio de convivência entre Kindim, Cacau, Manuela, Xuxu e Eu tem sido bem difícil, mas a cada dia tenho certeza que nao me desfazer deles como muita gente me orientou foi a melhor coisa que fizemos. Hoje olhando ara minha família, me sinto plena e realizada. Sem falar que agora temos um novo membro, Juvencio o Peixe beta azul!

Se você esta gravida e tem um amigo como nos tínhamos e pensa em se desfazer dele com a chegada do bebe, eu peco que reflita. Animais de estimação nao são descartáveis e com muito amor e paciência, mais muito mesmo, você vai conseguir sobreviver a tanto ciúme e depois verà como é lindo e gratificante ver seu filho e seu pet se dando tão bem!

Peco desculpas pelos erros, mas estou no IPad do meu marido e nao sei mexer nisso direito, ai ja viu né? Hahahahahahaha

Como amor, carinho e a certeza de que fizemos a escolha certa,

Roberta
"é como o vento: nao posso ver, nao posso tocar, mas posso sentir"

domingo, 3 de novembro de 2013

Sem AMOR não dá pra continuar

2 mensagens carinhosas
SE VOCÊ ESTA GRÁVIDA, MELHOR NÃO LER.

As imagens são fortes e chocante, mas muito mais forte e chocante é a história desta mulher que teve seu coração dilacerado e maltratado por profissionais que não sabem o verdadeiro sentido das palavras "PARTO HUMANIZADO".
Se para ter um "parto humanizado" essa mulher sofreu a esse ponto, imagine se fosse um "parto cesárea"? 
Minhas duas filhas nasceram de "parto cesárea". Minha primeira filha foi totalmente desnecessária, pois eu já estava em trabalho de parto e não tinha sentido algum fazê-lo, mas confiei nos médicos e como não acreditei que fariam uma cirurgia sem necessidade, fui tranquila... A segunda foi diferente. Eu confiava em todos os profissionais e tive a presença inesquecível da minha doula Rose Pereira, que participou do meu parto e tornou aquela cirurgia "HUMANA", doce, mágica, especial e única. 
Sei que quando escolhemos uma profissão, com o passar dos dias, ela se torna comum e construir predios, pontes, arrancar dentes ou obturá-los, fazer uma cirurgia de risco ou até um "simples parto" acaba sendo como se você estivesse "tomando café" ou "escovando os dentes", mas para quem compra seu primeira apto, arranca seu primeiro dente ou tem seu primeiro (sengundo, terceiro....) filho é algo especial, principalmente quando digo sobre FILHOS. Um filho em sua grande parte das vezes não é apenas "um filho", ele é um sonho vivido por duas ou mais pessoas. Ele é um sonho de aproximadamente 40 semanas que foi vivido da maneira mais intensa que se possa imaginar e no MEU modo de ver deve ser tratado como tal. Os profissionais envolvidos (do atendente da recepção ao diretor do hospital) devem pensar que aquele é o primeiro parto que acontece no mundo e que por isso deve ser tratado com o maior cuidado e AMOR.
A M O R, esse é o segredo! Essa palavra tão pequena, de apenas quatro letras e que pode fazer toda diferença entre a vida e a morte!
Eu perdi uma filha como vocês já estão exaustos de saber, mas quando a Olívia morreu não foi só uma criança linda, perfeita e com uma vida toda pela frete que partiu. Lá no cemitério da Areia Branca em Santos, estão enterrados os sonhos que uma família toda sonhou COM ELA, as fotos que não tiramos, seu primeiro sorriso, sua primeira palavra, seu primeiro dia de aula, seu primeiro tombo, primeiro beijo, primeiro amor, primeiro dia naquela faculdade que ela se esforçou tanto pra passar,... seu primeiro tudo! Talvez, não fosse assim, mas isso jamais saberemos não é? 
Pois bem, se você é um profissional da saúde e esta lendo isto, obrigada! Obrigada pela oportunidade de ser diferente de tantos outros que infelizmente é a maioria. Não trate seu paciente como um qualquer. Por mais que aquela gripe ou arranhado seja simples aos seus olhos, pois talvez aos olhos dele não é! Pense que poderia ser você ou seu filho naquela situação. AME seu paciente é só o que peço, AMOR! 
Talvez se neste desabafo abaixo tivesse o mínimo de AMOR AO PRÓXIMO ela não estaria sendo contata aqui, pois a família em questão estaria muito ocupada ofertando AMOR ao seu pequeno Marcel.


Com todo carinho, compaixão, amor e solidariedade compartilho este relato.

Roberta
"nosso amor é como o vento: não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir!"