Páginas

Esta foi a maneira que encontrei de dividir com vocês minhas alegrias, emoções, meus anseios, dúvidas, questionamentos,.. enfim, dividir um pouco de mim, afinal, ser mulher, mãe e esposa, não é fácil e eu não vim com manual de instruções!

sábado, 24 de junho de 2017

O TDHA e eu... EU e o TDAH... parte 2

Falei outro dia sobre meu Transtorno. Aquele post já é um pouco antigo, eu publiquei no instagram e depois decidi trazer pra cá.
Algum tempo se passou desde aquela postagem e depois disso algumas coisas mudaram...

Eu procurei um Psiquiatra e confesso que foi dificílimo estar frente a frente com ele e me expor. Contar pra ele tudo o que sentia e ouvir da boca dele meu diagnóstico. Por mais que eu já soubesse, ouvir de um profissional é muito complicado. Difícil digerir e aceitar sua condição.

Hoje, estou tomando medicação e não vou citar nomes pois a intenção não é incentivar auto medicação (apesar destes remédios só serem vendidos com receita).

Pode parecer bobeira, mas hoje eu já consigo fazer coisas simples como ir ao supermercado e comprar realmente o que eu precisava. 
Por exemplo: Antes eu ia ao mercado comprar batatas e voltava com sacolas e mais sacolas de tudo o que você possa imaginar, menos a batata! Fora o dinheiro que gastava, perdia tempo, pois tinha que voltar ao mercado (e a chance de voltar novamente sem a batata era imensa!). Quem é mãe sabe que nosso tempo é artigo de luxa na vida das mães e no meu caso era muito mais valioso ainda, pois eu perdia tempo com besteiras por falta de atenção. Só eu sei como isso me machucava!

Todas as consultas, meu médico me passa tarefas simples, como: arrumar as coisas da manhã seguinte ainda pela manhã, ler 3 páginas de um livro e depois fazer um resumo do que conseguia absorver (sim! eu lia e 2 minutos depois me esquecia completamente!)

As coisas estão melhorando por aqui e as poucos estou aprendendo a aprender, aprendendo a pensar antes de fazer (e falar), aprendendo a me organizar.

O combinado com meu médico é de que vamos reprogramar a minha mente, para que eu não me perca em meio aos meus pensamentos e devaneios, que eu consiga focar minha atenção naquilo que estou fazendo no momento e assim, dia após dia, degrau por degrau, vamos nos adaptando a este novo olhar e novo jeito de ver e fazer as coisas, das mais simples as mais complexas.

Aos poucos eu vou me encontrando e me RE-conhecendo. Este processo tem feito muito bem não só para mim, mas para minha família em geral e faz parte do meu RE-nascimento após a maternidade.

Olha para si, após a maternidade tem sido uma tarefa complexa, mas muito enriquecedora e fortalecedora. Descobrir quem me tornei após este processo só tem trazido benefícios e elevado minha auto-estima <3


"Nosso amor é como o vento: não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo! Deixe um recadinho. Sua opinião é importante para mim e eu adoro quando você comenta! =)